Meu Fim

Sem título

Quando a hora chegar
O céu escurecer
A lua brilhar
E eu padecer

Quando a garrafa cair
O whisky escorrer
Eu me esvair
E nada mais ver

Quando a chama apagar
As cinzas alastrarem
O sangue espalhar
E vocês gritarem

Já não ouvirei nada
Seus perdões,
Suas mentiras
Minh’alma aprisionada
Meus refrões,
Minhas iras

Mais nada

Vampira

Imagem

Pele macia e branca
Intenso batom vermelho
O sangue que me arrancas
Torna rubro meu espelho

 A tortura me atordoa
Teu sadismo é vicioso
Ingênua beleza que destoa
De teu espírito libidinoso

 Possui todo meu ser
E deixa uma cicatriz
Por ti estou a falecer
Pois da morte és imperatriz