O Último Gole

Untitled

A juventude escorre por meus dedos
Dia após dia a vejo se esvair
Com o tempo aumentam-se os medos
Sinto mais cerca minha hora de partir

Com a morte eu flerto, então
Imagino meu último semblante
O óbito permeia minha imaginação
Torna-se um sonho delirante

Sinto-me pronto para a partida
Bebo minha última taça
Brindando o fim de minha vida
Repleta de amargura e desgraça

Meu último gole dou, enfim
A embriaguez penetra minhas veias
O sangue para dentro de mim
Da morte estou em suas teias

Advertisements

Meu Fim

Sem título

Quando a hora chegar
O céu escurecer
A lua brilhar
E eu padecer

Quando a garrafa cair
O whisky escorrer
Eu me esvair
E nada mais ver

Quando a chama apagar
As cinzas alastrarem
O sangue espalhar
E vocês gritarem

Já não ouvirei nada
Seus perdões,
Suas mentiras
Minh’alma aprisionada
Meus refrões,
Minhas iras

Mais nada

Cinzas ou Pó

morcego

Fenix queres que eu seja
Para que das cinzas eu renasça
Mas sou como o raio que troveja
E traz luz uma vez só
Por maior a escuridão que faça

Se um animal tenho de escolher
Um morcego torno-me, então
Que nas trevas tudo pode ver
E faz do ostracismo sua renovação

 Pendurado em galhos se sustenta
Encara a morte como uma só
Falsas Ilusões não alimenta
E sabe que todos ao fim da vida
Tornamo-nos pó