O Último Gole

Untitled

A juventude escorre por meus dedos
Dia após dia a vejo se esvair
Com o tempo aumentam-se os medos
Sinto mais cerca minha hora de partir

Com a morte eu flerto, então
Imagino meu último semblante
O óbito permeia minha imaginação
Torna-se um sonho delirante

Sinto-me pronto para a partida
Bebo minha última taça
Brindando o fim de minha vida
Repleta de amargura e desgraça

Meu último gole dou, enfim
A embriaguez penetra minhas veias
O sangue para dentro de mim
Da morte estou em suas teias

Meu Fim

Sem título

Quando a hora chegar
O céu escurecer
A lua brilhar
E eu padecer

Quando a garrafa cair
O whisky escorrer
Eu me esvair
E nada mais ver

Quando a chama apagar
As cinzas alastrarem
O sangue espalhar
E vocês gritarem

Já não ouvirei nada
Seus perdões,
Suas mentiras
Minh’alma aprisionada
Meus refrões,
Minhas iras

Mais nada

Vinho ou Sangue

Imagem

 

Admiro o Sol nascer

Com uma taça de vinho

Porém, luz não posso ver

Tu escureceste meu caminho

 

Essa noite misturou-se

Vinho com sangue teu

E nosso amor transformou-se

Em teu corpo que padeceu

 

Agora o Sol preenche a sala

Enquanto esvazia minh’ alma

Minha dor, a luz, cala

No cálice, o vinho me acalma

 

Me acalmou, me entorpeceu

Até que eu não sofra

Por não ser mais

(t)eu

 

Cinzas de Nós

Imagem

Um cigarro queimando
Fumaça dançando no ar
Lembro de ti me amando
Nas cinzas, nosso amor a queimar

Acendi tua imensa chama
Nossas almas se fundiram
Senti tanto que me ama
Que as cinzas, então, caíram

Espalhadas pelo chão
Vi o cessar do fogo
Peguei em tua mão
E anunciei o fim do jogo

Perdi muitas tragadas
Não há mais fumaça no ar
Minhas mãos estão queimadas
E nosso amor a revogar

Apago tuas memórias
No cinzeiro de minha mente
Viram cinzas nossa história
Em mim
Não estás mais presente