Penitência

cruz

Entre correntes e espinhos
Eu estou a agonizar
O sangue desenha o caminho
Ao perdão do meu pecar

Carrego dentro de mim
O peso do meu pecado
Sinto que se aproxima o fim
E tua alforria por ter me amado

Em cada gota a escorrer
Vejo cenas da transgressão
Esta dor quero manter
Até que deite em meu caixão

Ninguém morreu por meus pecados
Essa obrigação devo eu cumprir
Em minha lápide um recado:

Por redenção decidiu

partir

Advertisements