A Cova

Untitled 2222

Uma lágrima escorre
De meus olhos vazios
Uma parte de mim morre
Sinto-me num mundo sombrio

Balbucio a despedida
Que efêmera finjo ser
Não encontramos saída
Como o sol para o anoitecer

Percebo que não resistirei
Decido então partir
Morrer agora eu hei
Pr’essa dor não mais existir

Prefiro apodrecer
A sofrer com essa dor
Meu ar estou a perder
Nos matou, enfim, esse amor

Vazio meu olhar já estava
Apenas vou me libertar

Minha cova você escava
Dentro dela
Uma lágrima tua
A despencar

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s